quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Ensinando Java para Jovens de 11 a 16 Anos

O robô verde vasculha o campo a procura de um alvo. Quando o detecta, começa a disparar. Um, dois, três tiros. Sucesso!!! A batalha ainda não terminou, e o robô verde, agora já sem um alvo identificado, parte procurando um novo inimigo para destruir.



Ok, escrever o texto acima é a parte fácil. A parte difícil é escrever o mesmo texto em uma linguagem de programação.

Por exemplo, o que quer dizer 'vasculhar'? Em algum lugar, alguém vai ter que descrever detalhadamente o que é este 'vasculhar' : o robô deve olhar um pouquinho para a direita, depois um pouquinho para a esquerda, depois, se ainda não enxergou outro robô, olhar mais ainda para a direita, e assim por diante? E "partir"? Significa andar em linha reta para frente? E quando bater na borda do campo de batalha, o que faz?

Lógica de programação - a técnica de descrever detalhadamente todos os comandos que precisam ser executados - não é nada fácil. Não se parece com português, com matemática, com qualquer das matérias tradicionais do colégio.

Programar é difícil.

Até porque, mesmo que alguém tente convencê-lo do contrário, não é assim que nós pensamos. Se você está no gol e vem uma bola em sua direção, você não pensa: "a bola está em cima de mim, vou levantar os braços. Levantar mais um pouco. Mais um pouco. Não vai dar, vou ter que recuar. Mover perna esquerda para trás. Mudar o peso. Mover perna direita. Voltar a mover os braços....".

A esta altura já foi gol há muito tempo. Computadores - pelo menos a grande maioria - não pensam como nós.

Programar é muito difícil, mas existe uma vantagem, especialmente para os jovens: as coisas não precisam ser fáceis. Qualquer criança já lidou com muitas coisas difíceis. Falar, caminhar, escrever, todas muito mais difíceis que programar.

O que "programar" não pode é ser chato. Não se você quer ensinar para jovens de 11, 12 anos (jovens um pouco mais velhos, já preocupados com emprego e que acreditam que um diploma vai fazer a diferença, são mais tolerantes com coisas chatas).

E como se ensina programação sem ser chato?

Existem algumas formas.

Em nosso novo curso Guerra de Robôs: Introdução a Java para 11 a 16 anos, o que nós fizemos foi o seguinte:

Nós não ensinamos programação.

Nós ensinamos a destruir o robô azul.


2 comentários:

  1. Ótima ideia!! Programação teria que ser obrigatória no ensino básico das escolas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agree! Já existe escola em SP que está fazendo isso.

      Excluir